Guardião da Verdade

Fórum para estudos teológicos.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Apocalipse Já

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Marllington Klabin Will
Administrador
Administrador
avatar

Masculino Número de Mensagens : 123
Idade : 27
Localização : Belém, PA
Profissão : Estudante
Interesses : Aprender
Data de inscrição : 03/09/2007

MensagemAssunto: Apocalipse Já   12/4/2007, 22:20



APOCALIPSE JÁ

Por Marllington Klabin Will

  Em Junho de 2006, a revista Veja lançou como matéria de capa uma reportagem sobre “Os sinais do Apocalipse”, onde é afirmado o seguinte:
      “Já começou a catástrofe causada pelo aquecimento global, que se esperava para daqui a trinta ou quarenta anos. A ciência não sabe como reverter seus efeitos. A saída para a geração que quase destruiu a espaçonave Terra é adaptar-se a furacões, secas, inundações e incêndios florestais”.
  E dá como advertência:
      “O tema central desta reportagem não é a previsão de mau tempo no futuro, ainda que este seja um de seus destaques. O que se lerá aqui diz respeito, sobretudo, ao impacto do aquecimento global que já se faz sentir no mundo atual e como teremos de aprender a viver com isso. A primeira coisa que precisa ser aprendida é como conviver com a fúria da natureza injuriada. De acordo com um levantamento da Organização das Nações Unidas, em 2005 ocorreram 360 desastres naturais, dos quais 259 diretamente relacionados ao aquecimento global. O aumento foi de 20% em relação ao ano anterior. No início do século XIX, de acordo com alguns historiadores, dificilmente havia mais de meia dúzia de eventos de grandes dimensões em um ano. No total, foram 168 inundações, 69 tornados e furacões e 22 secas que transformaram a vida de 154 milhões de pessoas.”
  Pois bem, o artigo trás uma relação do que é chamado de as “seis pragas do aquecimento”: (1) o Ártico está derretendo, (2) os furacões estão mais fortes, (3) o Brasil na rota dos ciclones, (4) o nível do mar subiu, (5) os desertos avançam e (6) já se contam os mortos (a Organização das Nações Unidas estima que 150 mil pessoas morrem anualmente por causa de secas, inundações e outros fatores relacionados diretamente ao aquecimento global. Em 2030, o número dobrará).

  E a matéria continua:
      “Irreversível? Muitos cientistas começam a acreditar que as mudanças climáticas chegaram a um ponto de não-retorno. Esse fenômeno leva agora o nome de tipping point, termo em inglês popularizado como título de livro por Malcolm Gladwell, escritor badalado de Nova York. Em ciência, significa o momento em que a dinâmica interna passa a encarregar-se de uma mudança iniciada previamente por forças externas. Em vários aspectos já cruzamos o limite sem volta. A limpeza da atmosfera é tarefa para gerações. O degelo nas regiões polares está além do tipping point. Obviamente, como conseqüência do volume de água do degelo, os oceanos continuarão a subir. O aquecimento dos mares alimentará novos furacões, aumentando a capacidade destrutiva desses fenômenos meteorológicos.”
  Realmente estes são dados alarmantes, porém nada disso surpreende aqueles que conhecem as profecias da Bíblia. Sabe o que isso tudo significa? Simplesmente que o retorno de Cristo está próximo! Vejamos o que disse Jesus sobre esse tempo:
      Tudo isso que vocês estão vendo será destruído. E não ficará uma pedra em cima da outra. (…) Uma nação vai guerrear contra outra, e um país atacará outro. Em vários lugares haverá grandes tremores de terra, falta de alimentos e epidemias. Acontecerão coisas terríveis, e grandes sinais serão vistos no céu. (…) Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. E, na terra, todas as nações ficarão desesperadas, com medo do terrível barulho do mar e das ondas. Em todo o mundo muitas pessoas desmaiarão de terror ao pensarem no que vai acontecer, pois os poderes do espaço serão abalados. (Lc.21:6,10–11,25–26).
  Mas não devemos nos preocupar com essas catástrofes. Jesus nos deixou Sua dica para sabermos enfrentar o que virá:
      Fiquem alertas! …fiquem vigiando e orem sempre, a fim de poderem escapar de tudo o que vai acontecer”. (Lc.21:34,36).
  Portando, devemos nos preparar para o dia da volta gloriosa de Cristo muito mais do que para as conseqüências de um suposto desastre ambiental!



_________________
Escute as minhas palavras e preste atenção em tudo o que vou dizer… Darei a minha opinião com franqueza; as minhas palavras serão sinceras, vindas do coração. (Jó 33:1,3)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.google.com/profiles/will.marllington
Prof. Azenilto
Administrador
Administrador


Número de Mensagens : 147
Data de inscrição : 31/12/2007

MensagemAssunto: Re: Apocalipse Já   4/23/2008, 14:36





Diretor da NARLA (sigla da Associação Norte-Americana de Liberdade Religiosa, entidade fundada pela Igreja Adventista do Sétimo Dia--atualmente interconfessional) faz declaração sobre a recente visita papal aos EUA:

A semana passada foi bastante agitada em Washington. Não só a primavera finalmente chegou em toda a sua glória, mas o primeiro-ministro da Grã-Bretanha estava em visita de Estado na capital da nação. Não que você o soubesse. Na sexta-feira o Washington Post dedicou a sua primeira página ao Papa Bento XVI, com o Primeiro-Ministro britânico relegado à segunda página. Talvez isso seja adequado. Apesar de Joseph Stalin ser lembrado como perguntando sobre o Papa, "Quantas divisões [militares] ele tem?", os sucessores de Stalin descobriram a duras penas que o líder mundial de um bilhão de católicos pode exercer um enorme poder temporal.

Este poder esteve em evidência vezes sem conta durante a breve visita do Papa. O presidente Bush tomou a incomum iniciativa de ir à base aérea para receber o Papa em pessoa. Políticos americanos se empenharam em todas as oportunidades para obter tempo face a face com o Papa. Numa cidade acostumada a visitas de chefes de Estado e sendo onde fica o presidente da nação mais poderosa da história, as medidas tomadas para acomodar o Papa foram excepcionais, com o tráfego transformado em caos.

E não foi apenas o que o Papa fez que chamou a atenção geral, mas também o que ele não fez. Quando a Casa Branca promoveu um jantar oferecido pelo presidente dos Estados Unidos em honra do Papa, o Papa escolheu não comparecer. Talvez não pudesse ter havido forma mais elegante para declarar o prestígio relativo do papado e do presidente dos EUA.

Durante a visita do Papa, o Presidente da Conferência dos Bispos Católicos dos EUA apresentou um esboço das prioridades da Igreja Católica americana ao longo dos próximos anos, como segue:

A conferência episcopal recentemente identificou o fortalecimento do casamento e da vida familiar como uma das cinco prioridades para a nossa atenção comum nos próximos vários anos. As outras quatro são proteger a vida e a dignidade da pessoa humana em todas as fases da jornada da vida; promover a fé no contexto da prática sacramental e a observância do culto dominical; fomentar vocações ao sacerdócio ordenado e vida consagrada; e beneficiar-se da diversidade cultural da igreja aqui, sobretudo a partir do dom dos católicos hispânicos. www.uspapalvisit.org/speeches/text02_nationalshrine_george.htm

Como o papado tem sido capaz de sobreviver ao assalto do protestantismo, secularismo e relativismo? Por que tantas pessoas são atraídas ao Papa hoje? Talvez haja duas explicações. Num mundo de enorme incerteza, é confortador acreditar num líder infalível que você pode ver na carne e que emite orientações à medida que o mundo passa por mudanças. Em segundo lugar, a Igreja Católica tem-se mantido fiel a suas principais reivindicações de base--recusando-se a fazer compromisso mesmo quanto a seus ensinos mais impopulares. Numa cidade onde as mensagens dos líderes mudam conforme os dados de pesquisas, a coragem de uma instituição em tomar uma posição, não importa as conseqüências, parece quase sobrenatural em de si mesma.

E, no entanto, para os cristãos adventistas do sétimo dia, o reconhecimento de poder, prestígio, e força do papado moderno é temperado por profundas e fundamentais diferenças teológicas. Acreditamos que só Deus é santo, e, assim, rejeitamos o uso de um título atribuindo santidade a qualquer ser humano pecador. Além disso, apontamos a toda a humanidade um Salvador, um Advogado, e um só perdoador--e esse é o nosso Senhor Jesus Cristo. Nenhum ser humano tem o poder de perdoar o pecado ou o direito de postar-se entre um pecador e o seu Deus, e nenhum ser humano pecador pode mudar a lei de Deus, a fim de santificar domingo.

Enquanto olhar apenas para o Cristo invisível em vez de a um ser humano físico possa ser difícil às vezes, ao passo que viver com alguma ambiguidade sobre precisamente como aplicar a Escritura para os desafios atuais possa ser inquietante, e, ao mesmo tempo, a adoração simples e humilde não possa competir com a pompa papal, a beleza da própria Palavra de Deus e a força do Espírito Santo são mais do que suficientes, tanto nesta vida quanto na vida por vir.

Agora é o tempo para cada um de nós nos dedicarmos inteiramente a Deus, perseverantes na força da Sua Palavra e no poder do Seu Espírito,

Que Deus os abençoe,

James Standish
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Prof. Azenilto
Administrador
Administrador


Número de Mensagens : 147
Data de inscrição : 31/12/2007

MensagemAssunto: Re: Apocalipse Já   4/23/2008, 14:39

NOVA CRESCENTE CRISE MUNDIAL DE TREMENDAS IMPLICAÇÕES ESCATOLÓGICAS:




Tradução: Não, mas eu posso lhe oferecer um galão de etanol!

Crise Mundial de Alimentos Atribuída à Agricultura do Etanol
O noticiário da BBC de Londres de hoje comentou declarações dos presidentes da Bolívia, Evo Morales, e do Peru, Alan García, sobre o impacto negativo da expansão do cultivo de plantas para produção de etanol, o que estaria causando aumento de preço de alimentos por todo o mundo, e sendo a razão de protestos em vários lugares, como Haiti e Egito.

Autoridades da ONU e outras agências que combatem a pobreza e a fome têm-se manifestado na mesma linha de raciocínio, apelando aos governos dos países ricos que dêem mais atenção ao impacto negativo da expansão da agricultura visando à produção de etanol, como ocorre nos EUA com o milho, e no Brasil, com a cana-de-açúcar.

A reportagem referida comentou que o presidente do Brasil não só descartou esse fator, como assinou convênio com o governo de Gana, na África, para atividades agrícolas nessa mesma linha naquele país.

Por seu turno, Josette Sheeran, diretora-executiva do Programa Mundial de Alimentos, da ONU, falou de um "tsunami silencioso" de fome que está invadindo as nações mais desesperadas, numa reunião terça-feira em Londres, causado por aumento no preço de alimentos, imprevisibilidade climática e crescentes demandas de parte das potências emergentes, como China e Índia. O preço do arroz mais do que dobrou nas últimas cinco semanas, ela disse. O Banco Mundial estima que os preços dos alimentos subiu em 83 por cento nos últimos três anos.

Pode-se esperar para breve apelos de certos líderes por "união global de esforços" para superar mais essa crise que está se revelando mais e mais desafiadora, afetando maiores contingentes populacionais, e causando fome e desespero entre os mais vulneráveis--os mais pobres por todo o mundo.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Prof. Azenilto
Administrador
Administrador


Número de Mensagens : 147
Data de inscrição : 31/12/2007

MensagemAssunto: Re: Apocalipse Já   5/3/2008, 00:24



Periódico de Porto Rico Propõe União das Religiões Para Salvar o Planeta

Significativo artigo do periódico de Porto Rico, El Nuevo Día, (domingo 13 de abril de 2008):

“O ambiente é um assunto que preocupa a todos, não importa nossa denominação religiosa, crença filosófica ou explicação do cosmos. É uma oportunidade maravilhosa para deixar de lado as diferenças e o legado de intolerância que marca a história das religiões. Diferentes caminhos conduzem ao Criador, seja Jesus Cristo, Buda, Maomé, a energia primordial, a Mãe Terra ou como queiramos.

“As religiões têm maior longevidade do que governos e líderes mundiais. Podem então prover continuidade aos esforços em favor do futuro da terra.

“Sacerdotes, ministros, xamãs, rabinos, monges tibetanos, curandeiros, indígenas… todos vêem na Natureza uma fonte de paz e de vida. Unamo-nos em tolerância seguindo o chamado das Nações Unidas e dos líderes religiosos mais notáveis do mundo num esforço global para salvar o planeta. Talvez assim encontraremos nossa própia salvação.

“O vínculo das religiões com o ambiente não é novo. Tem existido praticamente desde que o homem é homem. Mas neste momento histórico, ante a crise de mudança climática, adquire maior relevância. As Nações Unidas têm apresentado um programa abrangente, de três anos e meio de duração, que começará em 2009 desde o Castelo de Windsor. Este une as maiores religiões do mundo no esforço de interromper o aquecimento global e promulgar a proteção dos recursos naturais”.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Prof. Azenilto
Administrador
Administrador


Número de Mensagens : 147
Data de inscrição : 31/12/2007

MensagemAssunto: Re: Apocalipse Já   5/3/2008, 00:30



Tradução: Com o crescente custo dos alimentos surge nova estratégia de investimento


Aja Agora, Coma Depois
O jornalista Jeffrey D. Sachs, da revista Time, discute no artigo “Act Now, Eat Later” (edição de 5 de maio de 2008, pág. 44) o problema da crise alimentar mundial apontando a quatro causas interligadas para o problema: a - a baixa produtividade crônica de fazendeiros em países pobres, incapazes de arcar com despesas de fertilizantes, sementes de qualidade e irrigação; b – a política negativa na Europa e Estados Unidos de subsidiar a produção de biocombustíveis (como o milho para uso em produção de etanol) às expensas de produção alimentar; c – a mudança climática, ilustrada pelas secas recentes na Austrália e Europa, que afetou a produção de grãos em 2005 e 2006; d – a crescente demanda mundial por alimentos dados o crescimento populacional e o aumento no padrão de vida de certas sociedades, como China e Índia, com maior poder de compra de tantas pessoas recém ingressadas nessa melhor condição econômica.

Daí o articulista oferece três sugestões quanto ao que poderia ser feito para superar o problema:


    1 – Dar aos fazendeiros em países pobres acesso a sementes de alta produtividade e fertilizantes. Sugestão de criação de um “fundo internacional para que tais fazendeiros adquiram os instrumentos de que carecem para sustentação de seus cultivos, o que custaria ao mundo desenvolvido meros 10 dólares por pessoa anualmente”.

    2 – Deter a onda de produção de biocombustíveis. Lembra ele que “conquanto necessitemos de formas alternativas de combustíveis, pagar nossos fazendeiros para encherem os tanques de combustível de nossos carros com seus cultivos (51 centavos de dólar por galão de etanol, nos EUA) é uma política insensata—e os resultados têm sido catastróficos para o mundo”.

    3 – Ajudar os fazendeiros a protegerem seus cultivos da seca e outros desastres. Algumas salvaguardas simples, como açudes para colher água da chuva, pode fazer diferença entre uma colheita abundante e a fome causada por seca, acentua o articulista.

No último parágrafo ele analisa: “O que é verdadeiro para alimentos também o é para energia, água e outros recursos de crescente escassez. Podemos combater esses problemas—na medida em que ajamos rapidamente. Novas fontes de energia como a solar, e novas tecnologias que poupem energia, como automóveis híbridos e elétricos, podem ser desenvolvidos e mobilizados dentro de poucos anos. Criatórios de peixe ambientalmente adequados podem aliviar as pressões sobre os oceanos”.

E conclui, nas cláusulas finais de sua matéria, que a crise alimentar propicia não só uma advertência, como uma oportunidade. “Precisamos investir vastamente mais em desenvolvimento sustentável a fim de conseguir verdadeira segurança global e crescimento econômico”.

_______

Obs.: Será que as sugestões e apelos de Sachs terão a repercussão que seria ideal? Sobretudo, suas idéias bem intencionadas seriam factíveis ou, pelo menos, levadas em conta por políticos e tecnocratas pelas nações do mundo no curto período de tempo que ele sugere e a gravidade da situação requer?

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Apocalipse Já   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Apocalipse Já
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Qual o significado das bestas de apocalipse?
» Deus diz: Bem aventurados os que pregam o Apocalipse
» Apocalipse - correções da Fiel (SBTB) em colaboração ao site Sollascriptura TT
» 2012: Abertura do 6º Selo do livro do Apocalipse?
» Apocalipse, até onde há somente figuração de liguagem e até onde é real?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Guardião da Verdade :: Assuntos Diversos :: Outros Temas Diversos-
Ir para: